domingo, 26 de fevereiro de 2017

Mulher é atacada por abelhas e sofre mais de 30 ferroadas, em João Pessoa

24/02/2017 18h25 - Atualizado em 24/02/2017 18h27
Ela estava capinando o mato de casa quando foi atacada.
Maioria das ferroadas foi no rosto da mulher.
 

Bombeiros tentam controlar enxame de abelhas que atacou mulher em Jaguaribe, João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)
Bombeiros tentam controlar enxame de abelhas que atacou mulher em Jaguaribe,
João Pessoa (Foto: Walter Paparazzo/G1)

Uma mulher de 47 anos foi atacada por abelhas na própria casa, no bairro Jaguaribe, em João Pessoa, nesta sexta-feira (24). Ela estava capinando o mato da sua residência quando o enxame de abelhas foi em sua direção.

Segundo o Corpo de Bombeiros, a mulher sofreu mais de 30 ferroadas, a sua maioria no rosto. Ela foi encaminhada para o Hospital da Polícia Militar General Edson Ramalho pelo Corpo de Bombeiros.

Uma equipe do Corpo de Bombeiros vai ser encaminhada ainda na noite desta sexta-feira (24) ao local, para controlar os insetos.



Estação recebe exposição sobre biodiversidade em recife de corais, em JP

Exposição permanece em cartaz até o fim do mês de março; entrada é gratuita
Mais entretenimento | Em 25/02/2017 às 12h17, atualizado em 25/02/2017 às 12h43 | Por Redação

 
Estação Cabo Branco
Estação Cabo Branco. Divulgação/Secom-JP.

Está aberta para visitação a exposição “Biodiversidade em Recifes de Corais”, no primeiro pavimento da Torre Mirante da Estação Cabo Branco Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano. A exposição permanece em cartaz até o fim do mês de março. O horário de visitação é terça a sexta-feira de 9h às 18h, e sábados, domingos e feriados das 10h às 19h. A entrada é gratuita.
  
Em “Biodiversidade em Recifes de Corais”, o visitante vai encontrar 19 fotografias subaquáticas tiradas de lugares inusitados de autoria de Dhieggo Gomes, que nos transportam, com emoção refletida nas imagens, para a curiosidade sobre o universo subaquático, e ao mesmo tempo valoriza a biodiversidade local em áreas de recifes de corais do Seixas.
 
Seu olhar poético nos remete a uma sensação da “vida pulsante” através do registro de fotografias subaquáticas, onde é possível encontrar organismo, tais como, algas (flutuantes e enraizadas “sob o movimento do mar”), corais (antozoários), peixes (enguia, peixe lagarto, dentre outras espécies de “cores vivas”), anelídeo (poliqueto) e o molusco (tintureiro ou Aplysia).
 
Dhieggo revela, com simplicidade, uma estética criativa e promove um diálogo com o público, explorando a temática “Meio Ambiente”, motivando os espectadores para a real necessidade de uma sensibilização crítica para a conservação.
 
O artista contribui também para uma visão científico-educativa e nos leva e refletir sobre os encantos que a vida marinha nos proporciona, e nos faz pensar que “é preciso conhecer para poder preservar” nosso patrimônio biológico e monumental.



sábado, 25 de fevereiro de 2017

Treze praias do litoral paraibano estão impróprias para banho, diz Sudema

25/02/2017 10h01 - Atualizado em 25/02/2017 10h01
  
Trechos em João Pessoa, Cabedelo e Pitimbu devem ser evitados.
Relatório de balneabilidade é divulgado semanalmente pela Sudema.

Do G1 PB

 
Praia de Camboinha, em Cabedelo, é o destino mais procurado pelos turistas (Foto: Felipe Gesteira/Jornal da Paraíba)
Praia de Camboinha, em Cabedelo, tem trecho impróprio para banho
(Foto: Felipe Gesteira/Jornal da Paraíba)


Treze praias do litoral paraibano foram classificadas como impróprias para o banho nesta semana pela Superintendência de Administração do Meio Ambiente (Sudema), conforme mostra o relatório semanal de balneabilidade. Outras 43 praias estão apropriadas para o banho, tendo a qualidade da água classificada entre excelente, muito boa e satisfatória.
 
De acordo com o relatório semanal, em João Pessoa, os banhistas devem evitar a praia do Bessa I, no trecho que fica 100 metros à direita e 100 metros à esquerda do maceió da praia do Bessa. Na Praia do Manaíra, o banho deve ser evitado em toda sua extensão. Na praia do Cabo Branco, os trechos do final da Rua Áurea (100 m à direita e 100 m à esquerda) e na rotatória da final da Av. Cabo Branco (100 m a direita e 100 m esquerda) estão impróprios para o banho.
 
Na Praia do Seixas, a Sudema recomenda evitar o trecho que fica 100 metros à esquerda do rio do Cabelo. Na praia da Penha, o trecho 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do riacho do Cabelo não está apropriado para o banho. Enquanto na praia do Arraial, está impróprio o trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Cuiá. Os banhistas também devem evitar a praia de Jacarapé, em toda sua extensão.

No município de Cabedelo, a praia de Miramar deve ser evitada num trecho de 100 metros à direita e à esquerda da galeria de águas pluviais. Já na Praia de Camboinha,  a Sudema classificou como impróprio o trecho de 100 metros à direita e à esquerda da Rua Benício de Oliveira, enquanto na Praia de Ponta de Mato e na Praia de Formosa, todas as suas extensões devem ser evitadas.

No município de Pitimbu, é recomendado evitar a praia do Maceió, no trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Riacho do Engenho Velho, além de toda extensão da praia Ponta de Coqueiros.

A Sudema ainda recomenda aos banhistas que evitem os trechos de praias localizados em áreas frontais a desembocaduras de galerias de águas pluviais, principalmente se houver indício de escoamento recente.